Terça-feira, 23 de outubro de 2018
            








Reajuste da magistratura em nome da recuperação da dignidade é um deboche

09/08/2018

Por Oton Pereira Neves
Secretário-geral do Sindsep-DF


Nesta quarta-feira (08/08) STF decidiu colocar em seu orçamento para o ano que vem um reajuste que eleva os salários dos Ministros dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39 mil. Um dia depois, o governo Temer anuncia a agilização nos cortes de benefício “sob suspeita” de idosos e deficientes pobres. 

Enquanto Temer corta dos pequenos e procura barrar os reajustes dos servidores federais, aprovados ainda durante o governo Dilma, a cúpula do Judiciário - regada com o auxílio-moradia - eleva seus próprios salários. Isso num Brasil em que o governo golpista gerou 13 milhões de desempregados!

Há uma perversa ligação entre o desassombro da magistratura em pedir reajuste em nome da “recuperação da dignidade” e a cruzada implacável contra os pobres. Este é o mesmo Judiciário que mantém no cárcere o maior líder popular da história brasileira, sem crime e sem provas, e que ensaia tira-lo das eleições de Outubro. Mas esse é o candidato que é visto pelo povo como saída para o caos que o golpe criou e, por isso mesmo, pode vencer já no 1º turno.

Para o povo, fica cada vez mais clara a podridão das instituições que Lula prometeu reformar convocando uma Constituinte. Está cada vez mais claro que é tarefa urgente
  defender o direito de o povo decidir entre todos os candidatos que postulam seu voto e, portanto, o direito de Lula ser candidato. 



    




» Voltar » receber o boletim eletrônico » Encaminhar » Imprimir


  Mais Notícias
 23/10/2018 - Temer e a destruição do serviço público
 23/10/2018 - Eleições das Seções Sindicais
 23/10/2018 - Nova direção do Sindsep-DF organiza as lutas para o triênio 2018/2021
 23/10/2018 - Estão em jogo: a democracia e os nossos direitos!
 22/10/2018 - Fenadsef aceita a proposta do TST exceto o "custeio sindical"
[ + ] mais notícias
   
 SBS Qd. 01 Bloco "K" - Ed. Seguradoras 16º e 17º andares CEP: 70 093-900 Brasília/DF Tel.: (61) 3212 1900 Fax: 3225 0699