Apenas 2 parlamentares do DF na Câmara são contrários à reforma da Previdência

É hora de pressionar os deputados do DF para votarem contra a reforma da Previdência

Apenas 2 parlamentares do DF na Câmara são contrários à reforma da Previdência

Pouco mais de sete meses após eleitos, 75% dos parlamentares que representam o DF na Câmara dos Deputados mostram seu total desrespeito com o povo. Em levantamento feito pela CUT Brasília, apenas a deputada federal Erika Kokay (PT) e o deputado professor Israel (PV) se posicionaram contrários à reforma da Previdência de Bolsonaro. Os outros seis integrantes da bancada do DF na Casa (Bia Kicis – PSL, Julio Cesar – PRB, Paula Belmonte – Cidadania, Celina Leão – PP, Flávia Arruda – PL, Luis Miranda – DEM) concordam com a proposta que retira do povo do DF e do Brasil o direito digno à aposentadoria e a assistência social viabilizada com a Previdência Social.

A deputada Bia Kicis (PSL), copartidaria de Jair Bolsonaro, é a principal defensora da reforma da Previdência entre os integrantes da bancada do DF. Ela foi vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde foi aprovada a admissibilidade da reforma da Previdência (PEC 006/2019). Para Bia Kicis, o resultado foi uma “grande vitória para o governo”.

Do grupo pró-reforma da Previdência, os outros cinco parlamentares chegaram a fazer ponderações para a aprovação da proposta. Entretanto, nenhuma delas modifica a estrutura do texto de Jair Bolsonaro, mantendo a reforma da Previdência um instrumento para arrochar a sociedade e não atacar os reais privilégios concedidos aos mais ricos.

“A mentira é o cimento que pavimenta o governo Bolsonaro. Ela é também a principal artimanha discursiva para fazer a opinião pública brasileira acreditar na necessidade de uma reforma da Previdência que em tese teria dois objetivos principais: combater o rombo nas contas públicas e retomar as condições para o crescimento econômico do Brasil. (…) Ao invés de abandonar os idosos à própria sorte na velhice, o governo poderia ao menos criar estratégias de combater a sonegação previdenciária, que segundo levantamento da CPI Mista do Congresso Nacional da Previdência Social é de algo em torno de R$ 450 bilhões por ano. Saídas existem, o que não existe é vontade política para implementá-las”, afirma a deputada federal Erika Kokay (PT), em artigo publicado na Revista Fórum, em 04 de abril de 2019.

De acordo com o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, agora é pressionar os parlamentares e cobrar deles o compromisso com a sociedade de Brasília. “É tarefa de cada um e de cada uma de nós ligar, mandar mensagem, ir aos gabinetes, enfim, pressionar os parlamentares contra a reforma da Previdência. Para nós aqui de Brasília, é importante intensificar essas ações junto aos parlamentares do DF”, afirma.

Ações como atuação nos gabinetes dos parlamentares, vigílias e panfletagens serão desenvolvidas nesta terça e quarta-feira, 9 e 10 de julho. Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a intenção é votar a reforma da Previdência em Plenário a partir desta terça-feira (9).

Veja lista dos parlamentares do DF na Câmara dos Deputados que são CONTRA O POVO e A FAVOR DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Bia Kicis (PSL)
Julio Cesar (PRB)
Paula Belmonte (Cidadania)
Celina Leão (PP)
Flávia Arruda (PL)
Luis Miranda (DEM)

Fonte: CUT Brasília

PRESSIONE

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *