Desfazendo mitos sobre a Reforma da Previdência

Desfazendo mitos sobre a Reforma da Previdência

A Previdência está quebrada
MENTIRA: Os números consolidados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada no Senado Federal comprovam que a Previdência é superavitária: entre 2000 e 2015, o superávit foi de R$ 821,7 bilhões. Mesmo tendo, no mesmo período, deixado de arrecadar mais de R$ 4,7 trilhões com desvios, sonegações e perdão de dívidas. Para chegar a essa conclusão, a CPI investigou as contas da Previdência brasileira entre abril e outubro de 2017 e realizou 31 audiências públicas, em que foram ouvidos 144 especialistas, entre eles auditores, professores, juristas, sindicalistas, empresários, senadores e deputados.

A reforma vai acabar com privilégios
MENTIRA: Não existem privilégios ou privilegiados no serviço público. Essa ideia faz parte de uma campanha de demonização do servidor e do serviço público com o objetivo de colocar a sociedade contra a categoria para aprovar as propostas de privatizações e enxugamento do Estado brasileiro. A verdade é que os chamados “altos salários” – que ultrapassam o teto constitucional são exceções no funcionalismo e não serão atingidos pela reforma.

A reforma não atinge aposentados e pensionistas
MENTIRA: A reforma atinge tanto aposentados quanto pensionistas no que se refere ao aumento do valor da contribuição previdenciária que passa a adotar alíquotas progressivas fixada em 14% com critérios de majoração que podem alcançar até 22%, além de prevê a criação de uma contribuição extraordinária incidindo sobre o valor dos proventos de aposentados e pensionistas que supere o salário mínimo, e de reduzir pela metade o valor das pensões.

Servidores ingressos antes de 2013 têm direito adquirido
MENTIRA: O servidor que até a data de promulgação da PEC não tiver atendido todos os requisitos para a aposentadoria pelas regras atuais, cairá na chamada “Nova Previdência” e terá que cumprir os requisitos previstos nas regras da PEC (vide cartilha Nova Previdência ou Fim das Aposentadorias), sendo que ainda poderá sofrer outros prejuízos em função da desconstitucionalização da matéria previdenciária que abre as portas para novos ataques através de lei complementar.

É preciso economizar para estimular a economia
MENTIRA: É exatamente o contrário. A redução do valor de aposentadorias e pensões retira recursos do mercado. Sem a circulação de dinheiro há a queda nas vendas do comércio e, consequentemente, redução na produção, o que vai gerar desemprego e empurrar o trabalhador para a informalidade.

Compartilhar:

Um comentário em “Desfazendo mitos sobre a Reforma da Previdência

  • 13 de junho de 2019 em 14:18
    Permalink

    A quase trinta anos atrás outro “liberal” ferrou o pais em especial servidores.Até hoje se vê pessoas
    vitimadas por aquele governo tentando recuperar o que perdeu,principalmente bancários,ferroviários e petroleiros.Entre estes,os sindicatos mais atuantes na defesa dos trabalhadores vitimados pelo plano collor foram os petroleiros e bancários,que mantiveram seus filiados com assistencia juridica e organização da luta pelo retorno,os demais largaram seus filiados à própria sorte e os que conseguiram anistia através da lei 8878 tiveram que caminhar com suas pernas.Os que conseguiram tal anistia foram pulverizados em outras instituições,MPT,AGU,PRF,RF cujos sindicatos não aceitam suas filiações por serem de outra categoria como no caso do SINDSEP.
    Quando a CONAB e CIBRAZEM foram extintas os servidores imediatamente foram realocados para compor o MPT,foram incorporados ao órgão e tiveram todos os seus direitos reconhecidos,já os bancários e ferroviários não.E ninguém diz nada,e não adianta gritar,espernear ou cobrar direitos.Dentro desses ambientes somos tratados como estranhos,e somos.Como eu diria,estamos no mesmo aquário mas não somos do cardume e isso faz a diferença.Nunca tivemos nossos salários corrigidos,não temos assistencia , nem fomos incorporados e muito menos podemos nos associar ao sindicato.Mas eu entendo.Se a entidade nos aceitar como sócios,terá que lutar pelos nossos direitos, e isso ninguém quer fazer.Os anistiados receberam alguns titulos jocosos, por exemplo:
    Anistiado cola de cavalo.Só cresce para baixo.
    Anistiado prepúcio.Corinho que vai e vem.
    Anistiado peixinho.Está no aquário mas não é do cardume.
    Anistiado bon-sai.Tem raizes profundas,tronco robusto,copa frondosa,eventualmente dá frutos mas sofre podas constantes.E por aí vai.
    Desejo muita sorte para todos os servidores com esse governo liberal,e como nunca fugi da luta,mesmo não sendo reconhecido,”tamos junto”.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *