Aposentados na rua, Dilma a culpa é sua!

Os aposentados e pensionistas da base do Sindsep-DF realizaram pela primeira vez hoje um ato público em frente ao Supremo Tribunal Federal (SFT) para cobrar agilidade no julgamento de ações de interesse da categoria, algumas das quais tramitam na Justiça há quase 20 anos. É o caso da ação que requer a correção da parcela dos 28,86%.

Dezenas de aposentados e pensionistas atenderam à convocação do Sindsep-DF e engrossaram o coro contra a morosidade da Justiça. Para o aposentado da Funai, Amilton Figueiredo, a iniciativa do sindicato é muito importante. “Aposentados e pensionistas cobram da suprema Corte a devolução dos 28/86%, paridade, revogação da contribuição Previdenciária e demais direitos que dormitam naquela casa. Parabéns Sindsep-DF”, declarou. Os aposentados declararam que o STF deveria se dedicar às matérias de interesse dos trabalhadores com o mesmo empenho que teve para julgar o chamado Mensalão.

A atividade também contou com a presença do secretário-geral do Sindsep-DF, Oton Pereira Neves; das diretoras da Secretaria de Aposentados e Saúde do Trabalhador, Maria Lícia Moraes Braga (coordenadora), Ivaldelice Pereira da Silva e Maria Gilza Ribeiro Fardin (adjuntas); do diretor da Secretaria de Assuntos Jurídicos, Reinaldo Felipe; da diretora da Secretaria de Mulheres, Thereza de Alencar; da diretora de Formação, Miriam Vaz Parente; do diretor da Secretaria de Imprensa e Comunicação, Carlos Henrique Bessa; do diretor da Secretaria de Movimentos Sociais, Gênero e Raça, Pedro de Alcântara; e do diretor adjunto da Secretaria de Relações Intersindicais e Parlamentares, José Francisco dos Santos (Chiquinho).

Segundo Neves, o ato deu início à Campanha pela revogação da Reforma da Previdência (Emenda Constitucional 41/2003). “É inconcebível que o servidor passe a vida funcional inteira contribuindo para a previdência e ao se aposentar seja obrigado a continuar contribuindo”, afirmou. Novos atos devem ser realizados em breve no Congresso Nacional, incluído visitas aos parlamentares.

Fonte: Imprensa Sindsep-DF

Imprimir
Compartilhar: